Taxas de juros de financiamento: veja quais são as melhores opções do mercado

Taxa de juros imobiliário

Adquirir o próprio imóvel é o desejo de muitas pessoas; entretanto, para isso é preciso se organizar financeiramente, atender a diversos requisitos e entender o máximo possível sobre as taxas de juros de financiamento aplicadas no mercado. 

Ter dúvidas sobre como funcionam os programas de financiamento é algo comum, porém, para garantir que o comprador tome decisões de acordo com a sua realidade financeira e negocie o pagamento do imóvel da melhor forma, é fundamental saber como são operadas as taxas de juros imobiliários. 

Neste artigo, entenda como funcionam as taxas de juros de financiamento e quais são as melhores taxas aplicadas atualmente. Acompanhe!

Como as taxas de juros de financiamento funcionam?

Quando uma instituição financeira concede crédito para uma pessoa, normalmente são cobradas taxas de juros a cada parcela com a qual a dívida vai sendo paga. E mais, as taxas de juros podem ser aplicadas em diferentes situações, não só nos financiamentos de imóveis.

Mas por que essas taxas existem?

De forma simples, vamos supor que João queira comprar um apartamento. Ele trabalha, tem um honorário mensal fixo, mas não tem o valor da entrada, muito menos o valor total para pagar o imóvel. Por outro lado, Paula tem o valor total e pode emprestar para João. O que Paula ganharia com isso? Quais seriam as garantias de que João pagaria a dívida?

É claro que as relações financeiras são muito mais complexas que esse exemplo, mas de forma geral seguem essa lógica. 

Os credores cobram as taxas de juros para compensar os riscos que envolvem a disponibilização do valor, a inflação do período e até mesmo os custos de operação. 

Geralmente, quando é feito um financiamento de imóvel, devem ser pagas prestações estabelecidas a partir do valor total financiado, com o acréscimo da taxa de juros determinada. 

A seguir, entenda qual a relação da taxa de financiamento com o tempo de pagamento

Taxa de juros x tempo de financiamento

Se um financiamento for dividido em um grande número de parcelas, isso significa que o prazo para a quitação da dívida é extenso e, por isso, a instituição financeira pode correr alguns riscos relacionados à imprevisibilidade.

Quanto maior o prazo, mais rentabilidade as instituições financeiras buscam ter e, consequentemente, são cobradas taxas de juros mais altas em relação a financiamentos com um prazo mais curto.

Todos os bancos têm as mesmas taxas de juros de financiamento?

Não! 

Os principais bancos geralmente praticam valores aproximados, mas o ideal é sempre pesquisar. Principalmente porque os bancos podem oferecer condições diferentes dependendo do histórico de cada cliente.

As instituições financeiras estabelecem taxas de juros específicas e condições de parcelamento diferentes conforme o histórico de pagamento, valor dos últimos salários, se houve ou não atraso em contas, idade, valor do imóvel preterido etc.

Quais foram as taxas de juros de financiamento dos principais bancos em 2020?

Fatores como local, renda e relacionamento com o banco influenciam fortemente no valor das taxas. Abaixo, confira algumas taxas praticadas por cinco instituições financeiras:

  • A Caixa Econômica Federal reduziu a taxa mínima, que era de 6,75% ao ano, para 6,25%. Pode até parecer pouco, mas essa redução é capaz de gerar uma economia de milhares de reais para quem vai financiar um imóvel 
  • O Itaú está com uma taxa de 6,90% ao ano 
  • O Santander está cobrando uma taxa de 6,99% ao ano 
  • O Banco do Brasil tem uma taxa de 8,45% ao ano 
  • O Bradesco está com uma taxa de 6,90% ao ano

A seguir, veja quais são as melhores taxas de juros de financiamento atualmente

Quais são as melhores taxas de juros de financiamento hoje?

Depende!

Infelizmente, não é possível dar uma resposta que sirva para todos; por isso, a explicação mais adequada é que isso varia de acordo com cada caso. 

Muitas vezes o banco que oferece a menor taxa também requer que o pagamento seja realizado em um prazo mais curto. Já aquela instituição financeira que tem juros um pouco mais altos pode ampliar o prazo de acordo com a necessidade do cliente. A menor taxa não quer dizer necessariamente que é a melhor opção para todas as pessoas

Outro fator que pode influenciar a aplicação de uma taxa de juros maior ou menor é a profissão da pessoa que está solicitando. Quem trabalha em regime privado (CLT), ainda que tenha um salário alto, pode ter acesso a taxas maiores do que funcionários públicos, já que estes garantem mais estabilidade para a quitação da dívida.

Na hora de pesquisar e buscar por um financiamento, é recomendado entrar em contato com os bancos nos quais já tenha conta para verificar quais são as condições.

O que levar em consideração no momento de escolher a melhor taxa de juros para financiamento?

Pesquisar, analisar, fazer simulação nos bancos ou até mesmo pelos sites são ações necessárias para entender o processo de financiamento e escolher a opção que mais se encaixa no seu bolso. 

É importante analisar as taxas e avaliar o custo total do imóvel com o financiamento para saber se vale mais a pena garantir mais prazo ou ter uma taxa de juros menor. 

Alguns bancos que oferecem taxas menores exigem a contratação de serviços, como algum tipo de seguro, o que, no fim das contas, pode deixar o valor fora da realidade financeira da pessoa. As parcelas devem ser compatíveis com a renda para que o orçamento mensal não fique comprometido ou completamente desequilibrado com o valor das prestações.

Amortização de parcelas: entenda como funciona

Cada vez que a pessoa que solicitou o financiamento paga a parcela, o saldo devedor dela vai sendo amortizado. 

O valor a ser amortizado é aquele que a instituição financeira concedeu para a compra do imóvel, e não os juros. Como geralmente todas as parcelas de um financiamento vêm com taxas de juros aplicadas, podemos dizer que em cada prestação consta o valor da amortização mais os juros. Abaixo, veja duas formas de amortização de parcelas. 

Sistema de Amortização Constante (SAC)

Nessa modalidade, o valor de cada prestação vai caindo porque as parcelas vão sendo reajustadas. 

Para entender como funciona, confira como ficam as três primeiras parcelas de um financiamento no qual um banco concede R$100 mil para a compra de um apartamento, com uma taxa de 5% ao mês, para ser pago em 10 vezes.

MesesSaldo DevedorAmortizaçãoJurosValor da Parcela
(amortização + juros)
0R$ 100.000
1R$ 90.000R$ 10.000R$ 100.000 x 5% = R$ 5.000R$ 15.000
2R$ 80.000R$ 10.000R$ 90.000 x 5% = R$ 4.500R$ 14.500
3R$ 70.000R$ 10.000R$ 80.000 x 5% = R$ 4.000R$ 14.000

Tabela Price

Se a opção escolhida for a Tabela Price, o saldo devedor é reduzido de forma mais lenta porque as prestações têm valor fixo. O cálculo é um pouco mais complexo e exige dados específicos da tabela de financiamento de cada instituição financeira, entretanto, de forma geral, é o valor da amortização que vai variar. 

As informações sobre taxas de juros são realmente complexas e muitos se afastam delas. Mas é necessário entender, pelo menos de forma geral, para que sejam escolhidas as melhores opções

É essencial se organizar para arcar com as prestações determinadas e entender que nem sempre a instituição que tem a menor taxa de juros oferece as melhores condições de pagamento da dívida.

Ficou alguma dúvida? Para mais informações, entre em contato conosco

Se você gostou deste artigo, confira outros títulos em nosso blog:

Connect Residence: veja oportunidade de investimento com boa localização

x

Simulador de financiamento


1
2
3
4
5

Selecione a sua cidade

© 2021 - Todos os direitos reservados